Ao lado do governador do Amazonas, Bolsonaro culpa Estados pela alta dos combustíveis e do gás

Postado em 18 de agosto de 2021

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a culpar, nesta quarta-feira, 18, os governadores pela alta no preço do gás e da gasolina. Durante a cerimônia de entrega de 500 moradias do programa Casa Verde e Amarela, em Manaus, o chefe do Executivo atribuiu parte da responsabilidade da crise econômica aos Estados. “Sabemos que a inflação está batendo na porta de vocês, mas lá atrás grande parte dos governadores e da nossa mídia disse que deveríamos respeitar aquela máxima: ‘fique em casa que a economia a gente vê depois’”, iniciou o presidente. “Essas pessoas jogaram, praticamente na miséria, em torno de 40 milhões de pessoas no Brasil”, afirmou Bolsonaro, em referência à imprensa e aos governadores. O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), que estava sentado ao lado do chefe do Executivo e discursou antes de Bolsonaro, foi recebido com vaias pelos presentes no evento.

O presidente apontou que, como o governo federal zerou o imposto federal do gás de cozinha, o aumento no preço do botijão é uma consequência dos impostos estaduais, do valor do frete e da margem de lucro calculada pelas empresas. “Muitos reclamam, com razão, do preço do botijão de gás, que está na casa dos R$ 130. Realmente, é um absurdo. Mas vou dizer a vocês que o botijão de gás custa, na origem, R$ 45 e o governo federal simplesmente zerou o imposto federal para o gás de cozinha. Se chega a R$ 130, a responsabilidade não é do governo federal, são impostos estaduais, bem como frete e margem de lucro”, disse Bolsonaro, que, em seguida, também atribuiu a alta nos combustíveis aos impostos cobrados pelos Estados.

“Hoje em dia, o litro da gasolina é vendido nas refinarias na casa de R$ 1,95. Se está R$ 6, R$ 7 o litro, o que é um absurdo, e o imposto federal na casa de R$ 0,70, vamos ver quem é o vilão nessa história. O vilão não é o governo federal.” O presidente ainda aproveitou para cutucar seu adversário político, o governador João Doria (PSDB), sem citar o Estado de São Paulo abertamente. “A gente lamenta que alguns estados do Brasil, como o maior estado economicamente ativo, foi o estado que mais aumentou o ICMS em plena pandemia. É lamentável isso”, criticou.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 18 de agosto de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 18 de agosto de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

Publicação de Larissa Ross no Migalhas

Publicação de Larissa Ross no Migalhas

A advogada Larissa Ross, publicou no dia 17/09/2021, o artigo no Migalhas, com o tema “A obrigatória ratificação judicial dos elementos informativos da investigação para a decisão de pronúncia“. Confira aqui o artigo.The post Publicação de Larissa Ross no Migalhas...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *