Na Câmara, Braga Netto nega pressão por voto impresso e ameaça a senadores

Postado em 18 de agosto de 2021

O ministro da Defesa, Walter Braga Netto, garantiu que não há qualquer articulação das Forças Armadas fora da Constituição Federal. A declaração foi feita numa audiência nesta terça-feira, 17, na Câmara dos Deputados. Braga Netto foi questionado sobre a conduta dos militares nas eleições do ano que vem e as declarações do presidente Bolsonaro, sobre agir “fora das quatro linhas da Constituição”. Em resposta, leu um artigo da lei que define as funções das Forças Armadas e rebateu. “As Forças Armadas cumprem o que está previsto na Constituição. O presidente já me assegurou que será cumprido o que está na Constituição e já me assegurou que jogará dentro das quatro linhas do poder. Então, não existe articulação fora do previsto na Constituição”, disse. Braga Netto também falou sobre a nota do Ministério da Defesa do dia 7 de julho, em resposta ao presidente da CPI da Covid-19, Omar Aziz, que afirmou que “membros do lado podre das Forças Armadas estão envolvidos com falcatruas”.

“Não houve ameaça. Em momento algum a mensagem teve por objetivo desrespeitar o Senado ou os senadores, nem mesmo a ele se referiu. Ao contrário, foi emitido a uma resposta a um pronunciamento pontual considerado desrespeitoso e injusto”, afirmou. O ministro também comentou o desfile militar em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília, na semana passada, no mesmo dia da votação da PEC do voto impresso na Câmara dos Deputados. “Ressalto que nunca houve a conotação de pressionar ou ameaçar poderes, grupos ou qualquer pessoa. Os senhores podem ver que isso já estava planejado muito antes, inclusive a votação foi marcada na véspera. Não sabíamos disso e não tínhamos como reverter”, afirmou.

Walter Braga Netto também negou que tenha enviado um recado ao presidente da Câmara, Arthur Lira, dizendo que não haveria eleições em 2022 se o voto impresso não fosse aprovado. “Reitero que não enviei ameaça alguma, não me comunico com presidente dos poderes por intermédio de interlocutores. No mesmo dia, ainda pela manhã, o presidente da Câmara dos Deputados confirmou publicamente que não houve esse episódio. Considero esse assunto resolvido, esclarecido e encerrado”, disse. Questionado pelos deputados, o ministro da Defesa não quis dar opinião sobre mudanças no sistema eleitoral. Braga Netto disse que não estava na audiência para dar posições pessoais.

*Com informações do repórter Victor Brown

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 18 de agosto de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 18 de agosto de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Publicação de Larissa Ross no Migalhas

A advogada Larissa Ross, publicou no dia 17/09/2021, o artigo no Migalhas, com o tema “A obrigatória ratificação judicial dos elementos informativos da investigação para a decisão de pronúncia“....

Artigos Relacionados

AO VIVO: CPI da Covid-19 ouve ministro Wagner Rosário, da CGU

AO VIVO: CPI da Covid-19 ouve ministro Wagner Rosário, da CGU

Três meses depois da aprovação de sua convocação, o ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, depõe nesta terça-feira, 21, à CPI da Covid-19. A oitiva deve ser marcada por uma espécie de guerra de narrativas entre senadores governistas e membros...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *