Aras critica ‘pessoalização’ da Lava Jato e diz que cumpriu seu papel sem ‘espetáculos midiáticos’

Postado em 24 de agosto de 2021

Em discurso inicial durante sua sabatina na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) do Senado, o atual procurador-geral da República, Augusto Aras, defendeu, nesta terça-feira, 24, que cumpriu o seu dever e as promessas feitas aos parlamentares em 2019, quando foi alçado ao cargo pela primeira vez. Segundo Aras, ao longo dos dois anos a frente da PGR, ele não permitiu que o Ministério Público substituísse nenhum dos Três Poderes. “Cumpri, nesse aspecto, em especial, o meu dever assumido aqui na última sabatina: não permitir que o Ministério Público pudesse se substituir ao Poder Legislativo, ou ao Judiciário, ou ao Executivo. Cumprir a Constituição é compreender a separação dos Poderes, é poder saber que o dever de fiscalizar condutas ilícitas não dá aos membros do Ministério Público nenhum poder inerente aos Três Poderes constituídos”, disse o PGR, que acrescentou que sua gestão foi “sóbria e técnica”.

Aras tem recebido duras críticas de parlamentares e de outros procuradores, que o acusam de “omissão”. Ele, porém, justifica que o papel do PGR é não manifestar opiniões sobre questões objeto de “atuação finalística”. “A falta de participação diária do Procurador-Geral da República nos debates provocados pela mídia, ou de apresentação de respostas para combater críticas ou acusações dos veículos de imprensa não se deram em razão de omissão, mas sim em respeito à vedação legal a magistrados e membros do Ministério Público manifestarem opinião sobre questões objeto de atuação finalística”, explicou. Em seguida, o procurador atribui à imprensa o que chamou de “críticas infundadas e incompreensões”, “que acabam reverberando pela atuação de parte da imprensa, que abraça um jornalismo descomprometido com a credibilidade de fontes e descuidado em conferir a veracidade de premissas e de fatos”.

Em outro momento, o procurador-geral da República criticou abertamente o que chamou de “pessoalização” da Operação Lava Jato. “Realizamos ainda 35 operações, sem vazamentos seletivos ou espetáculos midiáticos. Talvez, se nós tivéssemos, a cada duas grandes operações, feito o vazamento seletivo das operações, dos investigados, talvez eu estivesse numa posição de muito elogio por parte de alguns, como quem distribuiu flechadas por todo o Brasil, criminalizando a política”, afirmou Aras em referência à Lava Jato. “O modelo das forças tarefas, com pessoalização, culminou em uma série de irregularidades, tais como os episódios revelados pela na Vaza Jato, a frustrada gestão de vultosas quantias arrecadadas em acordo de colaboração e acordos de leniência, por meio de fundos não previstos em lei”. Aras ainda apontou que a atuação do PGR não deve ser mensurada por “proselitismo ideológico”, “operações policiais espetaculosas” ou “embates na arena política”. “Assim pautei minha atuação na discrição, no diálogo e na compreensão de que cabe ao PGR ficar adstrito ao discurso jurídico, manifestando-se nos autos, conduzindo investigações com rigor técnico”, defendeu.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 24 de agosto de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 24 de agosto de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Homenagem da UFPR à memória do Professor René Dotti

A Universidade Federal do Paraná, por sua Faculdade de Direito, Programa de Pós-Graduação em Direito e o Departamento de Direito Penal e Processual Penal, homenagearão a memória do Professor Titular...

Artigos Relacionados

Citação Eletrônica: Cuidados que as empresas podem adotar

Citação Eletrônica: Cuidados que as empresas podem adotar

Citação Eletrônica A Lei nº 14.195/2021 foi publicada no dia 27.08.2021. Desde então, estão em vigor as regras que alteram o Código de Processo Civil. Uma das principais mudanças é o incremento à citação eletrônica das pessoas jurídicas, a qual deverá ocorrer,...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *