Relatora propõe quarentena de juízes e militares para eleições apenas em 2026

Postado em 3 de setembro de 2021

A Câmara dos Deputados iniciou a discussão do novo Código Eleitoral. Após uma série de críticas e debates, a deputada federal Margarete Coelho, relatora do texto, apresentou um novo parecer, que deixa para 2026 o início da quarentena de juízes, militares e policiais que queiram disputar as eleições. Na proposta inicial, o dispositivo seria válido imediatamente após sanção. No entanto, o texto mantém a restrição das pesquisas eleitorais na véspera do pleito. Margarete Coelho defendeu a atualização da legislação para as eleições do ano que vem. “Não temos instrumentos para a realidade que o processo político vive hoje, não temos como dar garantia, instrumentos para que a Justiça eleitoral possa realizar o seu papel como organizadora e controladora”, disse. Mesmo com as mudanças, o deputado Coronel Tadeu defendeu que a quarentena para algumas categorias seja rejeitada.

“Faço esse apelo a todos os partidos, que todos prezam pela representatividade e vejo nos discursos que todos falam que essa é uma Casa do povo. Então, por que fazer uma separação de um segmento da sociedade? Ou não somos segmentos da sociedade? Claro que somos”, afirmou. Por sua vez, o deputado Kim Kataguiri criticou principalmente as mudanças na Ficha Limpa. “A pena hoje conta a partir do cumprimento da pena, ou seja, primeiro o sujeito cumpre a sua pena para então ter a penalidade da Lei da Ficha Limpa, o que é o correto. Um parlamentar, prefeito, governador, presidente, que renunciar antes do fim do processo de cassação mantém seus direitos políticos”, pontuou. Entre outros pontos, a relatora manteve o afrouxamento das regras para uso do Fundão Eleitoral. O valor que não for gasto deverá ser entregue aos partidos, não ao Tesouro Nacional. O texto também prevê que legendas que não cumprirem cotas mínimas para mulheres e negros não serão punidas.

O deputado federal Orlando Silva defendeu a organização das leis eleitorais em um único sistema. “O desafio que temos é o da reforma política, de aumentar a legitimidade do sistema político. A legitimidade e a força dos partidos políticos. Acredito que também no Código Eleitoral precisamos avançar em mecanismos que estimulem a participação de setores que são majoritários na sociedade e minoritário no sistema político”, ressaltou. Os parlamentares reclamaram que o parecer, com mais de 900 artigos, foi entregue cerca de uma hora antes da sessão. Com isso, o presidente Arthur Lira anunciou que a votação do texto deve acontecer na próxima quarta-feira, prazo final para apresentação de emendas.

*Com informações do repórter João Vitor Rocha

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 3 de setembro de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 3 de setembro de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Homenagem da UFPR à memória do Professor René Dotti

A Universidade Federal do Paraná, por sua Faculdade de Direito, Programa de Pós-Graduação em Direito e o Departamento de Direito Penal e Processual Penal, homenagearão a memória do Professor Titular...

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *