Na CCJ, Alcolumbre ignora apelos por sabatina de André Mendonça

Postado em 15 de setembro de 2021

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), segue irredutível quanto ao agendamento da data de sabatina de André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para a cadeira do ministro Marco Aurélio Mello no Supremo Tribunal Federal (STF). No início da sessão desta quarta-feira, 15, o parlamentar foi cobrado pelos seus pares para marcar uma data da sessão, mas ignorou os apelos e limitou-se a dizer que não há nada definido.

Líder do Podemos na Casa, o senador Alvaro Dias (Podemos-PR) afirmou que “há um dever a ser cumprido pelo Senado Federal, especialmente pela CCJ”. “Nós não podemos ser responsabilizados por um eventual impasse que venha a ocorrer no Supremo, com um empate de 5 a 5 em determinadas circunstâncias”, disse o parlamentar. Dias foi apoiado pelos senadores Espiridião Amin (PP-PR), Soraya Thronicke (PSL-MS) e Eliziane Gama (Cidadania-MA). “Ainda não há uma data prevista para a sabatina do indicado”, respondeu Alcolumbre. Líder do Cidadania no Senado, Alessandro Vieira (Cidadania-SE) subiu o tom e foi mais enfático: “Solicito que Vossa Excelência expresse quais são as razões republicanas para que se tenha o maior retardo da história na realização da sabatina do indicado”.

Como a Jovem Pan mostrou, na comparação com os atuais integrantes do STF, André Mendonça é o recordista no tempo de espera para ser sabatinado. A indicação foi oficializada no dia 13 de julho, portanto, descontadas as duas semanas de recesso parlamentar, já são mais de 40 dias aguardando – com 29 dias, a ministra Rosa Weber foi a que mais aguardou o aval da CCJ. “A indicação de nomes para o Supremo é atribuição do Presidente da República. A atribuição do Senado é sabatinar esse nome e garantir que ele tenha os requisitos constitucionais. Não cabe ao Senado interferir na indicação, negociar nomes para a indicação. Quais são os elementos que fazem com que Vossa Excelência se negue a fazer o agendamento de uma sabatina?”, questionou Vieira. “Fica registrada a manifestação de Vossa Excelência”, rebateu Alcolumbre.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 15 de setembro de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 15 de setembro de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

Publicação de Larissa Ross no Migalhas

Publicação de Larissa Ross no Migalhas

A advogada Larissa Ross, publicou no dia 17/09/2021, o artigo no Migalhas, com o tema “A obrigatória ratificação judicial dos elementos informativos da investigação para a decisão de pronúncia“. Confira aqui o artigo.The post Publicação de Larissa Ross no Migalhas...

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *