Ministro da CGU chama senadora Simone Tebet de descontrolada; sessão é encerrada

Postado em 21 de setembro de 2021

Confrontado por documentos que apontam indícios de irregularidades na compra da vacina Covaxin, o ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, fez um ataque machista à senadora Simone Tebet (MDB-MS), que coordena um grupo de trabalho da CPI da Covid-19 que apura a aquisição do imunizante indiano e exibiu o material no telão do plenário da comissão. “A senhora está totalmente descontrolada”, disse Rosário. A fala causou imediata reação dos parlamentares. Antes da sessão ser encerrada, o relator do colegiado, Renan Calheiros (MDB-AL), incluiu o depoente na lista dos investigados.

“Machista, machista”, reagiu, aos gritos, o senador Rogério Carvalho (PT-SE). “Isso é machismo explícito”, disse o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da CPI. O senador Otto Alencar (PSD-BA) chamou Rosário de “pau mandado descarado”. “Moleque de recado. Você é moleque de recado”, disse Alencar. “Não vou responder o senhor em respeito à sua idade”, rebateu o ministro da CGU. O senador Marcos Rogério, aliado do governo Bolsonaro, reclamou da postura dos colegas de comissão e foi repreendido pela senadora Leila Barros (Cidadania-DF). “Só as mulheres são descontroladas. Vocês dão show todo dia aqui. Menos, Marcos Rogério”, disse a parlamentar do Cidadania.

Após o encerramento da sessão, a senadora conversou com jornalistas e afirmou que, para ela, o ataque machista é uma “página virada”. Para Tebet, ela conseguiu extrair informações importantes de Wagner Rosário. “Ele resolveu passar pano, resolveu deixar a sua função para fazer a defesa intransigente e equivocada do Ministério da Saúde e do governo federal. No momento em que nós mostramos as incongruências do que estava sendo dito, ele não aguentou e partiu para pronunciamentos e falas infelizes. Nesse momento, não tenho gênero. Represento o Estado do Mato Grosso do Sul e o Brasil”, disse. “Essa é uma Casa que não aceita desrespeito, arrogância, petulância e mentiras. É momento de serenar. O mais importante eu consegui extrair: a CGU não foi ouvida preliminarmente, é mais um elemento de prova de que o contrato da Covaxin foi fraudulento e conseguiu chegar tão longe porque esconderam irregularidades do corpo juridico do Ministério da Saúde, da assessoria jurídica, da AGU e da CGU”, acrescentou a emedebista.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: .
Data de Publicação: 21 de setembro de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: .
Data de Publicação: 21 de setembro de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *