‘Alta no desmatamento não tem nada a ver com governo Bolsonaro’, diz Ricardo Salles

Postado em 5 de outubro de 2021

O ex-ministro Ricardo Salles questiona se COP-26 pode trazer resultados efetivos para o meio ambiente. Na visão dele, existem muitas discussões e ideias, mas poucos avanços práticos. “Espero que essa discussão finamente resulte em algo. Os países que mais poluem não querem pagar, eles destruíram o meio ambiente, acabaram com as suas florestas, mas querem socializar a conta com os países em desenvolvimento, inclusive o Brasil, que é exemplo de proteção ambiental e não é vilão de nada”, disse o ex-chefe do Meio Ambiente, em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan. Ricardo Salles reconheceu que o desmatamento vem crescendo no Brasil. No entanto, ele garante que a alta “nada tem a ver com o governo do presidente Jair Bolsonaro”, mas sim com o abandono da população local.

“Moram lá 25 milhões de brasileiros que foram deixados para trás. Cuidar do brasileiro da Amazônia, que tem o pior IDH ninguém quer. Se preocupam em falar de questões climáticas e da Amazônia, mas o brasileiro da Amazônia que se dane”, afirmou, criticando líderes da discussão ambiental, como a cantora Anitta, o ator Leonardo DiCaprio e a ativista Greta Thunberg. “Gostam de falar de discussões climáticas, mas são incapazes de tomarem atitudes concretas. Lançamos o programa ‘Adote um Parque’, quantas dessas empresas que falam de meio ambiente, que ficam fazendo discurso, quantas adotaram uma unidade de conservação? Praticamente nenhuma”, pontuou.

Ainda sobre a questão ambiental, Salles disse que, considerando as definições do Acordo de Paris, o Brasil deveria receber US$ 100 bilhões por ano a partir de 2020, mas nada foi pago. “Temos os chamados créditos de REDD. O Brasil teria direitos, se estivesse negociando o seus créditos de REDD, recebendo daqueles que prometeram, no padrão da Califórnia, teríamos em torno de US$ 190 bilhões de dólares para receber. Se fosse no padrão europeu, nosso crédito saltaria para US$ 290 bilhões. Quanto nós recebemos até hoje? Menos de US$ 1 bilhão em 10 anos. Quer dizer, dá US$ 100 milhões por ano, não recebemos nada, o que nos deram e ficam repetindo é zero, é 1% daquilo que teríamos direito. E a turma ainda se sente no direito de apontar o dedo para o Brasil”, concluiu.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 5 de outubro de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigo: A PEC dos Precatórios

Um dos temas de maior repercussão recente na mídia é a Proposta de Emenda Constitucional nº 23/2021, que propõe alterações no regime constitucional de pagamento de precatórios. Confira aqui o artigo...

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *