Com voto contra de Onyx Lorenzoni, DEM aprova fusão com PSL

Postado em 6 de outubro de 2021

O Democratas aprovou, nesta quarta-feira, 6, por aclamação, a fusão do partido com o Partido Social Liberal (PSL). A nova legenda se chamará União Brasil. O ministro do Trabalho e Emprego, o deputado federal licenciado Onyx Lorenxoni, foi o único a manifestar voto contrário à união das siglas. Onyx ainda solicitou que sua posição constasse na ata da convenção nacional realizada nesta quarta, em Brasília. O ministro também enviou um requerimento para que o partido decidisse sobre o apoio à reeleição de Jair Bolsonaro, lançamento de candidatura própria ou liberação de apoio a nomes de outros partidos nas eleições de 2022. Em outro requerimento, ele pediu uma mudança no estatuto do União Brasil para que os parlamentares tenham direito a voto nas decisões da executiva nacional. Os dois requerimentos foram negados.

O ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, enfatizou que tudo continuará como está em cada município e partido até que Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorize a fusão. “Até o momento em que fusão seja autorizada pelo TSE, tudo continua como está. Vamos encontrar o melhor caminho para que o União Brasil seja o partido mais vencedor em 2022”, disse ACM Neto. O ex-prefeito de Salvador acredita que o TSE levará em torno de dois a três meses para apreciar a criação do União Brasil. “É improvável que o novo partido já tenha constituído legalmente antes do ano que vem. O prazo que a gente estima é o começo de 2022”, acrescentou.

Como a Jovem Pan mostrou, a principal ideia do novo partido é lançar um candidato à Presidência da República. Atualmente, DEM e PSL possuem três pré-candidatos ao Planalto: o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) e o apresentador José Luiz Datena (PSL). Pacheco, vale dizer, tem sido cortejado pelo PSD, de Gilberto Kassab. No momento da fusão, a União Brasil terá as maiores quantias dos fundos eleitoral e partidário e o maior tempo de rádio e televisão para a eleição de 2022. Por outro lado, é esperado que parlamentares alinhados com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deixem o PSL e se filiem à legenda que o presidente escolher para disputar a eleição de 2022, o que poderia causar até 25 saídas do novo partido originado da fusão.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 6 de outubro de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 6 de outubro de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Publicações Relacionadas

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *