Câmara de São Paulo retoma discussão sobre Reforma da Previdência

Postado em 14 de outubro de 2021

Os servidores públicos da cidade de São Paulo tomaram a frente da Câmara de Vereadores em protesto nesta quarta-feira, 13, contra a proposta de Reforma da Previdência da gestão Ricardo Nunes (MDB), que prevê que aposentados e pensionistas da prefeitura que ganham mais de um salário mínimo contribuam para a previdência. Pela regra atual, aqueles com salários até R$ 6.533,57 são isentos de contribuição. Já quem recebe acima do valor contribui com 14%. O líder da base do governo, vereador Fabio Riva (PSDB), defendeu a reforma como ação necessária para a sustentabilidade da previdência do município. “Remédio amargo, mas necessário. Importante para os servidores, que hoje podem dizer que isso não é bom, mas lá na frente vão agradecer o prefeito Ricardo Nunes e a câmara por votar um projeto que vai garantir a aposentadoria deles no futuro”, disse Riva.

Segundo a prefeitura de São Paulo só para este ano o déficit é de R$ 6 bilhões e o rombo acumulado seria de R$ 171 bilhões. Com a reforma, esse valor cairia para R$ 60 bilhões. O executivo tem pressa em aprovar o projeto. A câmara chegou a instalar uma comissão especial para acelerar a discussão, na alteração dos principais pontos. A oposição critica a rapidez em votar o PL e diz que é preciso um amplo debate. A vereadora Silvia Ferraro (PSOL) criticou a pressa no debate. “O projeto ainda não tem um estudo sobre ele. A comissão de estudo foi formada na sexta-feira passada e não teve nem a primeira reunião. E ele já estão querendo votar hoje. Nós não estamos com canais de diálogo e nem com com canais democráticos de participação popular sobre o projeto”, afirmou Silvia. Depois de muita pressão, a Comissão e Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou a realização de uma audiência pública sobre a reforma. Depois de quase 8 horas de discussões acaloradas, a sessão terminou sem votação. O projeto volta à pauta hoje em sessão extraordinária. Para aprovar a reforma são necessários pelo menos 37 votos dos 55 vereadores e aprovação em dois turnos.

*Com informações da repórter Carolina Abelin

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 14 de outubro de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigo: A PEC dos Precatórios

Um dos temas de maior repercussão recente na mídia é a Proposta de Emenda Constitucional nº 23/2021, que propõe alterações no regime constitucional de pagamento de precatórios. Confira aqui o artigo...

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *