Lira adia votação da PEC que altera composição do CNMP

Postado em 14 de outubro de 2021

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), anunciou, no início da tarde desta quinta-feira, 14, o adiamento da votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que altera a composição do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). A sessão de hoje será destinada apenas para a discussão da matéria. O texto, de autoria do deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), será votado na terça-feira, 19, quando, de acordo com a previsão do comandante da Casa, haverá quórum completo – por volta das 15h, 486 dos 513 deputados registraram presença. Por se tratar de uma emenda à Constituição, são necessários 308 votos. Esta foi a terceira tentativa frustrada de votação: na semana passada e nesta quarta-feira, 13, a PEC estava na pauta de votação.

Mais cedo, a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) divulgou um vídeo no qual reafirma a posição contrária à PEC e afirma que não houve acordo com os parlamentares para a votação do texto. “Não foi feito acordo, tem notícia de acordo e reafirmamos que a discussão com o Parlamento continuará em busca de um texto que não afete a independência funcional e garanta a atuação do MP”, disse o presidente do órgão, Ubiratan Cazetta. Em nota conjunta assinada com a ANPR, o Conselho Nacional de Procuradores-Gerais do Ministério Público dos Estados e da União (CNPG), a Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), a Associação Nacional dos Procuradores e das Procuradoras do Trabalho (ANPT), a Associação do
Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (AMPDFT) e a Associação Nacional do Ministério Público Militar (ANMPM) afirmam que as instituições “vêm dialogando com a Câmara dos Deputados” e “ressalvam, contudo, que ainda há pontos fundamentais que exigem a continuidade da discussão, em consonância com o delineamento e os princípios constitucionais do Ministério Público”.

Na sessão desta quinta, Lira criticou o representante da ANPR e o presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), Manoel Murrieta. “Nós continuaremos conversando, respeitando o máximo de prazo possível, até terça na hora da votação. O que não dá para sentar mais é com o doutor Murrietta e com o doutor Ubiratan. Esses não têm palavra para sentar e negociar em nome da associação, pelo menos por essa presidência. Eles podem sentar com Vossa Excelência [deputado Tadeu Alencar, do PSB], com outros parlamentares, mas aqui nós somos acostumados a cumprir acordo. Eles fizeram acordo, redigiram o texto da funcionalidade [do MP] e reduziram a nota que nós seguramos até que conseguíssemos conversar com a Associação Nacional dos Procuradores de Estado. A doutora Ivana foi quem me ligou dizendo que haveria acordo. Vamos seguir em frente, só não sou obrigado a sentar e conversar com quem não cumpre acordos que são feitos verbalmente”, disse Lira.

Líder do Cidadania na Casa, o deputado Alex Manente (SP) endossou a fala de Arthur Lira. “Falamos com a ANPR, com o Conamp, com o CNJ. Outros líderes trabalharam essa questão. Ontem chegamos ao entendimento dos pontos prioritários que foram solicitados por esses representantes diretamente ao líder Isnaldo Bulhões [MDB-AL] e ao autor do projeto, Paulo Teixeira. Eram quatro temas, passaram para cinco e, no final, passaram para seis. Pois bem. Na noite de ontem, tivemos a surpresa de novos pleitos. Esses novos pleitos em nada modificam o combate à corrupção e a impunidade. Dão liberdade para que determinados procuradores atuem sem limites. Para a minha surpresa, nós tratamos com doutor Murrieta e com o doutor Ubiratan e eles confeccionaram comigo uma nota de apoio a essas intervenções. Confeccionaram comigo e outros deputados a nota de apoio que foram feitas pelo deputado Paulo Magalhães [relator], considerando que um dos temas, o do corregedor, não foi atendido, mas que o combate à corrupção e a autonomia funcional do MP estavam contemplados no novo texto. Para minha surpresa, o doutor Ubiratan diz que a ANPR não fez acordo pela PEC 5”, afirmou. “Trabalhei incansavelmente para adequar o texto. Fico frustrado de não termos aqui a anuência daqueles que comigo participaram dessa celebração. Quero registrar que continuaremos falando com esses representantes, para que honrem aquilo que foi tratado no gabinete da liderança do Cidadania”, acrescentou.

A PEC que altera a composição do CNMP é amplamente criticada por representantes do Ministério Público. Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, o ex-coordenador da Força-Tarefa da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, disse que a proposta é um retrocesso que pode por fim ao órgão e coloca o MP “no corredor da morte”. “É um grande retrocesso. Alguns colegas chegam a dizer que isso coloca o Ministério Público no corredor da morte, que é o fim do Ministério Público. Pelo menos é o fim do órgão como a gente conheceu na Constituição de 1988. Aquele Ministério Público forte, independente, que atua contra a corrupção política, que incomoda pessoas, independentemente do seu poder econômico ou político”, avaliou. De acordo com o texto, o CNMP passará de 14 para 15 membros, dos quais 4 serão indicados ou eleitos pelo Legislativo.

Fonte do artigo:

Política – Jovem Pan

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Trechos extraídos ou texto replicado na íntegra do site abaixo.
Autoria do texto: Jovem Pan.
Data de Publicação: 14 de outubro de 2021.
Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Aviso Legal

A COJAE acredita que a propagação de informações relevantes e responsáveis pode ajudar a sociedade. Por isso, mobilizou sua equipe editorial em prol de confrontar as diferentes visões a respeito dos mais variados assuntos, a fim de difundir somente informações que acredita serem baseadas em fatos.
Os conteúdos aqui ora publicados estão livres do alarmismo, sensacionalismo e interesse político-ideológico amplamente divulgado pelas grandes mídias, incluindo canais de televisão e gigantes redes sociais que manipulam infielmente os dados.

Explore Seus Tópicos Favoritos

Leia mais artigos publicados em nosso blog navegando pelas categorias abaixo. Clique aqui para acessar nosso blog.

Notícias
Direito
Judiciário
Ética
Arbitragem
Editorial
Ideologia
Justiça Federal
Teologia
Todas as Categorias

Selecionadas do editorial

Artigo: A PEC dos Precatórios

Um dos temas de maior repercussão recente na mídia é a Proposta de Emenda Constitucional nº 23/2021, que propõe alterações no regime constitucional de pagamento de precatórios. Confira aqui o artigo...

Artigos Relacionados

0 Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *